terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Aspectos de Segurança do Trabalho na Formação de Engenheiros

Um tema que sempre me fascina é a educação profissional. Principalmente quando se aborda a necessidade de uma atuação responsável dos profissionais dentro do mundo do trabalho. E entre esses profissionais, o que dizer dos engenheiros? Não tenho dúvida que o exercício profissional das atividades de engenharia requer compromissos com a gestão de riscos.
Por isso, para quem se interessa por este tipo de abordagem, indico a leitura da dissertação de Mestrado, intitulada "Aspectos de Segurança do Trabalho na Formação de Engenheiros". Nesta dissertação buscou-se verificar de que forma a educação dos engenheiros contempla os conhecimentos necessários para uma atuação responsável em matéria de segurança dos trabalhadores.
O objetivo da pesquisa, a partir do levantamento dos requisitos para uma atuação responsável dos engenheiros, foi identificar possíveis lacunas a serem preenchidas pelas escolas de engenharia e pelas empresas para contemplar de forma eficaz os aspectos de saúde e segurança dos trabalhadores no processo de formação profissional dos engenheiros. Para alcançar esse objetivo, fez-se uma revisão da literatura, abordando a importância do tema da segurança das pessoas e dos processos, as características da engenharia e dos engenheiros e os requisitos de sua formação. A revisão da literatura evidenciou, tanto em trabalhos acadêmicos quanto em documentos legais e normativos, que a sociedade espera dos engenheiros um perfil de atuação humanista, sustentável e responsável. E que a ciência e a tecnologia não são neutras, ou seja, as decisões e os projetos podem trazer impactos à saúde e segurança das pessoas que devem ser avaliados de forma integrada. Por isso, o ensino de engenharia deve contemplar o desenvolvimento das competências vinculadas à gestão da segurança. A conclusão do estudo defende a incorporação do conceito da transdisciplinaridade no ensino de engenharia, isto é, contemplar os aspectos da atuação responsável dentro das demais disciplinas da formação dos engenheiros.
A dissertação foi apresentada na Universidade Federal Fluminense, no programa de Mestrado em Sistemas de Gestão e está disponível no repositório digital daquela universidade.
Título: Aspectos de Segurança do Trabalho na Formação de Engenheiros.
Autor: Ricardo Pereira de Mattos
Orientadora: Professora Denise Alvarez, D.Sc.
Para ter acesso à íntegra desta dissertação, clique aqui. Ou copie o seguinte endereço:
http://www.repositorio.uff.br/jspui/handle/1/859

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Instalações elétricas em piscinas

Instalações elétricas em piscinas - aspectos de segurança

Não são poucos, infelizmente, os acidentes relacionados às instalações elétricas em piscinas. Embora a normalização técnica seja específica e clara quanto às prescrições para esse tipo de ambiente, a desobediência é flagrante. Basta conhecer o relato de alguns desses acidentes para constatar que essas prescrições ou são desconhecidas ou propositadamente desrespeitadas. E não se tratam apenas das instalações residenciais, mas de locais de afluência de público como é o caso de clubes, hotéis e parques. A norma técnica da ABNT, NBR 5410, que trata das instalações elétricas em baixa tensão, contém todos os requisitos para instalações seguras nesses ambientes.

Um artigo publicado originalmente na Revista Lumière apresenta alguns casos reais para nos servir de alerta sobre a importância desse tema. Se este assunto lhe interessa, não deixe de ler o artigo, que está disponível no portal de Artigos Técnicos. Siga o link:

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Um livro, uma prosa um verso. O verso dos trabalhadores.


foto: Tibério França
O trabalho inspira. Repercute. Choca. Enobrece?

Provocando a reflexão, foi editado pelo Ministério Público do Trabalho, um livro denominado "O verso dos trabalhadores". Com uma versão interativa e outra em arquivo de leitura, ele é composto por nove textos e sete ensaios fotográficos versando sobre o trabalho e os trabalhadores. Uma versão impressa será distribuída em escolas e bibliotecas.

As condições de trabalho, o trabalho doméstico, no campo, nas indústrias, a realidade dos imigrantes, enfim, tudo isso é a inspiração dos autores Clara Arreguy, Milton Hatoum, Mia Couto, Lya Luft, Marcelo Rubens Paiva, Xico Sá, Eliane Brum, Jose Rezende Jr e José Luiz Passos que produziram textos exclusivos para este projeto. Os ensaios fotográficos são de Geyson Magno, Tibério França, Walter Firmo, Marlene Bergamo e Avener Prado.


No prefácio, o escritor Milton Hatoum, um dos autores, antecipa o teor do fio condutor deste livro:


"A violência, a humilhação, o preconceito, enfim, o enorme sofrimento físico e moral de milhões de trabalhadores brasileiros ainda é a maior indignidade de um país que se pretende democrático. Aliás, são raros os países desenvolvidos e democráticos em que as pessoas mais pobres, sobretudo imigrantes, não são humilhadas diariamente, pois o sistema como um todo (político, econômico e cultural), em qualquer latitude e em graus variados, é uma máquina de sofrimento para muitos trabalhadores.
Alguns textos deste livro falam diretamente sobre o trabalho escravo em pleno século 21. Outros, com viés mais ficcional, podem ser lidos como breves relatos ficcionais, ou uma mistura de reportagem, crônica e memorialismo. Essa mescla de modalidades de discurso imprime uma dimensão intimista e, em alguns casos, poética a assuntos dramáticos e trágicos das sociedades brasileira  e moçambicana.
Há algo em comum na vida de um operário de uma fábrica de cimento-amianto em São Paulo; de um funcionário de uma empresa de exploração de gás no extremo Norte de Moçambique; de um vaqueiro numa fazenda do Ceará; de uma cozinheira nordestina numa casa paulistana; de um menino engraxate; de uma preta velha.."



foto: Avener Prado

O livro foi produzido com o dinheiro da multa aplicada a uma empresa de construção civil que infringiu leis trabalhistas com terceirização ilícita e condições insalubres. Essa aplicação, de certa forma uma novidade, foi oriunda de uma Ação Civil Pública da 18ª Vara do Trabalho do Distrito Federal.

foto: Walter Firmo
De acordo com os organizadores, o livro nasceu do desejo de incentivar a reflexão sobre as profissões, suas simbologias e impactos na vida contemporânea. "A partir dessa ideia, convidamos diferentes autores a fazerem literatura e fotografia especialmente para o projeto”, explica o jornalista Alessandro Soares que, juntamente com o colega de profissão Rodrigo Farhat, organizaram o livro.

Conheça o livro, acessando o seguinte endereço:
http://oversodostrabalhadores.com.br












segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Segurança e Saúde nas Escolas

Em 10 de outubro celebra-se o Dia Nacional de Segurança e Saúde nas Escolas. Esta data, oficializada pela Lei Federal nº 12.645/2012, foi resultado de inúmeras ações positivas a favor da inclusão do tema na formação escolar. A importância de integrar o tema à educação em todos os níveis é uma preocupação geral e há ações com esse objetivo em vários países. Na União Europeia, por exemplo, a Agência de Segurança e Saúde no Trabalho (EU-OSHA) possui um projeto específico voltado a esse objetivo (clique aqui para conhecer). No Brasil, essa integração é uma das estratégias do Plano Nacional de Segurança e Saúde no Trabalho.

Alunos do IFRJ Duque de Caxias celebram a data

Uma das ações mais efetivas teve início com a ideia de um técnico de segurança do trabalho, Orlandino dos Santos, no município de Duque de Caxias, no estado do Rio de Janeiro. Identificando a carência de conhecimentos e de espaço de aprendizagem com esse foco, ele protagonizou a implantação da CIPA Escolar naquele município. A ideia posta em prática se mostrou interessante e viável, chamando a atenção de várias instituições ligadas ao assunto, entre elas a Fundacentro e a OIT - Organização Internacional do Trabalho.

O interesse evoluiu para a criação de uma data dedicada ao assunto no município de Duque de Caxias. E em 2007 transformou-se em um projeto de lei, na Câmara dos Deputados, para a criação de um Dia Nacional. O projeto se materializou em 2012, com a promulgação da Lei 12.645, instituindo o dia 10 de outubro como o Dia Nacional de Segurança e Saúde nas Escolas.

Desde então, cabe aos alunos e professores aproveitarem essa data para fortalecer a discussão e aprendizagem sobre a prevenção de acidentes e doenças do trabalho. Neste ano de 2015, várias ações estão em andamento, muitas delas patrocinadas pela Fundacentro, outras pelas Secretarias de Educação, e a maior parte delas pelas próprias escolas. E em algumas delas, se desdobrando com um fôlego e animação de um iniciante, o técnico de segurança Orlandino dos Santos participa pessoalmente, promovendo, fazendo palestras ou sendo homenageado.

Eu e Orlandino com os professores Alberto e Sergio do IFRJ
No dia 9 de outubro, sexta-feira à noite, foi a vez do projeto CIPA na Escola, do IFRJ de Duque de Caxias, celebrar a data. O IFRJ é o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro. E nesse evento comemorativo, eu tive a honra de ser convidado a participar, levando uma mensagem aos alunos do Curso Técnico de Segurança do Trabalho daquela instituição, com a presença do próprio Orlandino, e sob a coordenação do professor Alberto, Coordenador do curso. Uma turma animada, educada e participativa, valorizou o evento demonstrando que estão se preparando muito bem para o mercado de trabalho. Para mim, foi um prazer imenso participar.

Ricardo Mattos e Orlandino dos Santos

sábado, 19 de setembro de 2015

ESW Brasil 2015 com inscrições abertas

A segurança com instalações elétricas é um assunto que requer enorme atenção, no Brasil e no mundo. A quantidade de acidentes com pessoas e instalações é assustadora e as medidas de prevenção e controle precisam ser amplamente disseminadas.
É um trabalho contínuo que exige perseverança e determinação. Da mesma forma, por ser um tema que permite diversas abordagens e que contém uma complexidade técnica, precisa ser trabalhado de múltiplas formas.
A Abracopel, por exemplo, é uma associação brasileira que se dedica permanentemente ao assunto. Em âmbito internacional, diversas instituições também se dedicam à segurança com instalações elétricas. E entre elas, o IEEE - Instituto dos Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos. Da união dessas forças positivas e do bem, vai se realizar mais uma vez no Brasil, o seminário que é integralmente voltado ao tema da segurança em instalações elétricas: o ESW Brasil 2015 - Electrical Safety Workshop.
Realizado pelo IEEE nos EUA desde o início da década de 90, este evento passou a contar com uma edição brasileira em 2003 e desde então a cada dois anos. Ele já foi realizado em Guararema (2003), São Paulo (2005), Rio de Janeiro (2007), Blumenau (2009), São Paulo (2011) e Recife (2013). Neste ano, ocorrerá no Rio de Janeiro, na Universidade Petrobras, dias 2 e 3 de dezembro. 
O Engenheiro Edson Martinho, diretor da Abracopel, na coordenação geral do evento e o Engenheiro Estellito Rangel, do IEEE, na Coordenação Técnica estão trabalhando na construção de mais um evento de excelente qualidade, junto com uma comissão organizadora de altíssimo nível.

O seminário é composto de trabalhos técnicos apresentados por profissionais experientes e por especialistas convidados, proporcionando um excelente ambiente com plena participação do público. São apresentações de 30 minutos, seguidas de um tempo para perguntas e respostas. Todos os trabalhos ficam disponíveis posteriormente para os participantes e alguns deles podem ser selecionados para serem publicados em revistas internacionais do IEEE.

Diversas ações e ideias surgiram a partir dos encontros proporcionados pelas edições brasileiras do ESW. Portanto, é um evento que você deve colocar em sua agenda se este é um assunto com o qual vocẽ trabalha ou estuda.

Para se inscrever, entre agora no portal do evento, clicando aqui.
Mais informações:

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

Migrações e Trabalho

Nos últimos dias, cresceu em todo o mundo a atenção sobre o tema das migrações, principalmente na Europa. Infelizmente, o que provocou um maior interesse da sociedade quanto a esse assunto foi a constatação da morte de crianças e entre todas elas, a morte do pequeno Aylan Kurdi, uma criança síria, de 3 anos, cujo corpo foi encontrado em uma praia da Turquia. A foto dessa criança, morta na praia, vítima do naufrágio de um barco de refugiados, foi estampada em jornais, e circulou rapidamente pelas redes sociais, causando muita tristeza.

Para quem vem estudando o assunto, essa foto simboliza uma realidade que não é nova, mas que parece mais presente nos dias atuais. E não é um problema exclusivamente europeu, é um fenômeno mundial, inclusive com repercussão no Brasil. Há uma forte relação entre as migrações e o mundo do trabalho, passando pelo tráfico de pessoas e pelo trabalho escravo; por isso escolhi este tema hoje para a atualização deste blog que fala da Vida e do Trabalho.

Para não me restringir a um desabafo ou simples emissão da minha opinião sobre um assunto tão complexo, considerei que uma boa contribuição a uma melhor compreensão sobre o tema, seria indicar uma boa referência. E ao procurar por ela, cheguei à excelente publicação produzida pelo Ministério Público do Trabalho - MPT. Reconhecendo a importância e a atualidade do assunto, o MPT promoveu em março do ano passado, em Brasília, o Simpósio Internacional sobre Migrações e Trabalho. Durante dois dias, a temática foi avaliada por diversos olhares, incluindo a participação de representantes da Argentina, Itália e Espanha.

Um dos frutos desse evento, foi a publicação, em 2015, do livro que representa, segundo os seus organizadores, "a concretização dos estudos, pesquisas e sentimentos depositados em palestras e debates do Simpósio".

No prefácio do livro, o Procurador Geral do Trabalho, Luís Antonio Camargo de Melo, discorre sobre o vínculo do assunto com a realidade do Brasil. Reproduzo, a seguir, um trecho desse prefácio:

"A história do povo brasileiro tem, em sua raiz, o trabalho do migrante, africano ou europeu, branco ou negro. No entanto, o enfrentamento que se confere ao tema, desde uma perspectiva econômica, social ou jurídica, já não pode ser o mesmo. Há 20 anos, o Brasil deu início a um trabalho eficaz, comprometido, solidário e interinstitucional, com vistas a erradicar de nosso território o trabalho escravo contemporâneo. Obtivemos resultados dignos de celebração, reconhecidos pela Organização Internacional do Trabalho.No entanto, os desafios se renovam e o trabalho escravo urbano bem como a presença do migrante indocumentado assumem preponderância na pauta de debates, estudo e atuação.As migrações, o trabalho escravo contemporâneo e o tráfico de seres humanos se inserem em um contexto marcado pela transversalidade. Como exemplo, cito a Campanha da Fraternidade de 2014, para a qual a Igreja Católica no Brasil escolheu o tema “fraternidade e tráfico humano”.Com esta obra, fruto do Simpósio Internacional Migrações e Trabalho, o Ministério Público do Trabalho objetiva jogar maiores luzes ao viés social do tema, sem deixar de reconhecer a relevância da atuação repressiva penal e política entre os Estados.A questão migratória e o mundo globalizado dizem respeito a todos nós: brasileiros, sul-americanos, cidadãos do mundo. Em 26 de março de 1991, era assinado o Tratado de Assunção e constituído o Mercado Comum do Sul – Mercosul. A zona de livre comércio, no entanto, tem maiores ambições. A integração política, social, educacional e a formação dos próprios trabalhadores pedem passagem. A livre circulação de pessoas e trabalhadores afeta diretamente a cidadania comunitária. O livre trânsito de mercadorias, serviços e estabelecimentos interferirá diretamente na abordagem jurídica que se imprime às relações de trabalho."
O livro está disponível ao público, através do portal do MPT. Os organizadores foram os procuradores Erlan José Peixoto do Prado e Renata Coelho. O livro é composto por treze artigos que tratam a questão sob perspectivas sociais, políticas e econômicas. Para ter acesso ao livro, acesse o portal do Ministério Público do Trabalho na Internet, ou clique aqui.

Fonte: Portal do Ministério Público do Trabalho: portal.mpt.gov.br

sábado, 1 de agosto de 2015

Segurança do Trabalho em Pequenas e Médias Empresas

Recentemente, eu li um trabalho publicado pela Agência Européia para a Segurança e Saúde no Trabalho, onde se analisavam os desafios de se trabalhar com segurança em pequenas e médias empresas. Na apresentação do assunto o trabalho elencava algumas razões identificadas como dificuldades de um gestão eficaz em SST:

Os dados mostram que os trabalhadores das empresas de menor dimensão estão sujeitos a maiores riscos do que os das empresas de maior dimensão, e que as primeiras sentem mais dificuldades para controlar os riscos. Diversos estudos, entre os quais o Inquérito Europeu às Empresas e Riscos Novos e Emergentes (ESENER) da EU-OSHA, revelam que os desafios associados à gestão da saúde e segurança no trabalho (SST) são bastante significativos nas empresas menores.
A gestão relativamente deficitária de SST pode ser atribuída a características específicas típicas das pequenas empresas, tais como os elementos estruturais e organizacionais do trabalho e do emprego, a situação econômica e as relações laborais, a diversidade e a flexibilidade das empresas, o distanciamento face à regulamentação, as atitudes e competências dos proprietários e dos trabalhadores neste tipo de empresas ou o seu curto ciclo de vida. Estas características fazem com que seja mais difícil às micro e pequenas empresas criarem e manterem um ambiente de trabalho seguro e saudável.
Fonte: https://osha.europa.eu/pt/themes/safety-and-health-micro-and-small-enterprises

No Brasil, as dificuldades são semelhantes e requerem uma ação coordenada dos Ministérios do Trabalho, Saúde, Previdência e Educação. As pequenas e médias empresas representam mais de 50% dos empregos de carteira assinada, 27% do PIB e somam mais de 9 milhões de estabelecimentos, de acordo com dados fornecidos pelo Sebrae.
Para superar obstáculos e obter resultados melhores, não é adequado o exagero normativo ou a fiscalização punitiva. O conceito de Inspeção do Trabalho, com caráter educativo e as ações de órgãos de atendimento coletivo, como é o caso daqueles que integram o sistema S, devem ser incentivadas e praticadas se quisermos implantar melhorias consistentes da gestão de segurança e saúde dessas empresas e com isso reduzir riscos e evitar acidentes.

Para conhecer mais sobre a Agência Européia de Segurança e Saúde, assista ao vídeo seguinte.




segunda-feira, 13 de julho de 2015

Discussão e produção científica em Segurança do Trabalho


Embora a característica que mais aparece para o grande público quando se fala em segurança do trabalho seja a conformidade legal, essa é apenas uma das formas de expressão dessa área de conhecimento.
No Brasil e no mundo, a pesquisa científica em saúde e segurança do trabalho é intensa e diversificada. O mundo do trabalho e sua complexidade exigem a dedicação de pesquisadores e professores e a atualização da produção científica, seja nas universidades ou em instituições de pesquisa.

A FUNDACENTRO vem desempenhando um papel de vanguarda nesse assunto, não só no que diz respeito à produção científica, mas também na divulgação da informação, seja na forma de publicações, normas, filmes e eventos. Além de representar o país em vários fóruns, a instituição vem ampliando suas relações com instituições similares de outros países. Com um corpo técnico diferenciado, composto por pesquisadores que possuem experiência e contato com o mundo do trabalho, a FUNDACENTRO é uma referência obrigatória para estudantes, professores e profissionais que atuam nas áreas de saúde e segurança do trabalho.

Entre as suas publicações, destaco a Revista Brasileira de Saúde Ocupacional (RBSO), uma revista científica, editada há vários anos e que ganhou mais força ultimamente, provavelmente pela formação e experiência acadêmica da atual direção da instituição. Aberta às contribuições da sociedade em geral e do meio acadêmico especificamente, a RBSO é uma fonte de informação imprescindível para quem realiza pesquisas nessa área. A revista está em sua 130ª edição e desde a edição 105, seus artigos estão disponíveis também na base de dados do SciELO.


Em relação aos eventos organizados pela instituição, destaco o Congresso que vai ocorrer em agosto deste ano, em São Paulo: III Congresso Internacional de Ciências do Trabalho, Meio Ambiente, Direito e Saúde. Organizado pela Fundacentro, pela Asociacion Latinoamericana de Abogados Laboralistas – ALAL e pelo Ministério Público do Trabalho – MPT, ocorre entre os dias 24 e 28 de agosto, na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo.



Ainda no âmbito da divulgação de informações técnicas e científicas, a fundação mantém inúmeras publicações e filmes em seu portal na internet, canal do YouTube e Facebook. Portanto, basta navegar por esses canais para conhecer mais e melhor a Fundacentro, ou visitar a sua sede em São Paulo ou os centros regionais em várias cidades do Brasil.

quinta-feira, 18 de junho de 2015

Louvado Seja (Laudato Si)

O Papa Francisco me enviou uma carta hoje. Uma carta que contém um apelo enfático pela nossa casa em comum. Ele ampliou o conceito tradicional de "casa" para falar de um lugar de moradia que ele compartilha comigo. E com tanta gente...

Não fiquei surpreso com o conteúdo da carta, pois é bem ao seu estilo: direto, objetivo, forte, mas ao mesmo tempo carinhoso e esperançoso.

No título da carta ele escreveu a expressão "Louvado Seja", referindo-se, mais uma vez, a São Francisco de Assis. E eu me lembrei de uma música que fazia muito sucesso nas missas e nos encontros de jovens, com esse mesmo título. Um trecho da música dizia assim:

Louvado Seja o Meu Senhor
Por todas as suas criaturas
Pelo Sol e pela Lua
Pelas estrelas no firmamento
Pela água e pelo fogo

E não é que lá no meio da carta, a carta reproduz a oração original que inspirou a música? Essa carta do Papa Francisco fala da Criação. Assim como a música, ela também fala das criaturas. Ah, esqueci de dizer; a carta não é dirigida só pra mim, ela foi dirigida a você que está lendo esta mensagem e a todas as pessoas de boa vontade. Assim ele escreveu.

Por ter sido dirigida a tanta gente, a carta teve forte repercussão na imprensa mundial. Alguns a chamaram de carta verde outras de carta do meio ambiente. Mas eu a interpretei como Carta da Vida, pois é disso que ela fala, da nossa vida na Terra, irmã, assim denominada neste trecho da carta.

"Esta irmã clama contra o mal que lhe provocamos por causa do uso irresponsável e do abuso dos bens que Deus nela colocou. Crescemos a pensar que éramos seus proprietários e dominadores, autorizados a saqueá-la."

Muitos artigos e reportagens estão sendo publicados em todo o mundo sobre essa carta, que a Igreja Católica denomina "Encíclica", ou seja, uma carta circular. Então vamos ajudar a fazer circular esta carta. Infelizmente, pouca gente vai ler a carta na íntegra. Por falta de tempo, de interesse ou de hábito de leitura. A carta é grande mas é útil e inspiradora.

Separei alguns trechos para você e ao final tem um link para o texto integral:
"O urgente desafio de proteger a nossa casa comum inclui a preocupação de unir toda a família humana na busca de um desenvolvimento sustentável e integral, pois sabemos que as coisas podem mudar. O Criador não nos abandona, nunca recua no seu projeto de amor, nem Se arrepende de nos ter criado. A humanidade possui ainda a capacidade de colaborar na construção da nossa casa comum. Desejo agradecer, encorajar e manifestar apreço a quantos, nos mais variados setores da atividade humana, estão a trabalhar para garantir a proteção da casa que partilhamos. Uma especial gratidão é devida àqueles que lutam, com vigor, por resolver as dramáticas consequências da degradação ambiental na vida dos mais pobres do mundo. Os jovens exigem de nós uma mudança; interrogam-se como se pode pretender construir um futuro melhor, sem pensar na crise do meio ambiente e nos sofrimentos dos excluídos."
"Não pode ser autêntico um sentimento de união íntima com os outros seres da natureza, se ao mesmo tempo não houver no coração ternura, compaixão e preocupação pelos seres humanos. É evidente a incoerência de quem luta contra o tráfico de animais em risco de extinção, mas fica completamente indiferente perante o tráfico de pessoas, desinteressa-se dos pobres ou procura destruir outro ser humano de que não gosta. Isto compromete o sentido da luta pelo meio ambiente. Não é por acaso que São Francisco, no cântico onde louva a Deus pelas criaturas, acrescenta o seguinte: «Louvado sejas, meu Senhor, por aqueles que perdoam por teu amor». Tudo está interligado. Por isso, exige-se uma preocupação pelo meio ambiente, unida ao amor sincero pelos seres humanos e a um compromisso constante com os problemas da sociedade."


Bom, como você deve ter percebido, eu gostei muito da carta. Ela fala do trabalho dos homens e mulheres, fala do modelo de desenvolvimento, fala do desperdício e da miséria. Fala da necessidade de ações individuais e coletivas. E por isso, neste blog que se intitula um endereço de prevenção, a favor da Vida, ela se tornou um assunto obrigatório.

Louvado seja o meu Senhor. E viva o Papa Francisco!

Segue o link para o endereço oficial da versão da Encíclica em português:
http://w2.vatican.va/content/francesco/pt/encyclicals/documents/papa-francesco_20150524_enciclica-laudato-si.html

E um guia para ajudar na leitura da Encíclica:
http://www.news.va/pt/news/laudato-si-um-guia-para-a-leitura-da-enciclica

domingo, 14 de junho de 2015

Serviços de limpeza e conservação

Há pouco tempo, a regulamentação da terceirização esteve na pauta de todos os jornais, por causa da votação de um projeto de Lei no Congresso Nacional.

Uma atividade que é realizada quase sempre na forma de contratos de terceirização é a de conservação e limpeza.

No ano passado, a FUNDACENTRO divulgou um vídeo e uma cartilha que abordam os riscos associados a essa atividade, de uma forma prática e fácil de ser entendida. Esse material está disponível no portal da FUNDACENTRO, mas você pode assistir ao vídeo aqui mesmo neste blog.

Ele é útil para você iniciar um conversa com os trabalhadores que realizam essa importante atividade no dia-a-dia dos ambientes de trabalho. Confira!

domingo, 24 de maio de 2015

Sete bilhões de sonhos

No dia 5 de junho, celebra-se o Dia Mundial do Meio Ambiente. Promovido pela ONU e organizado pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA), o tema deste ano é um alerta:

Sete bilhões de sonhos. Um planeta. Consuma com cuidado.

Esse assombroso número que representa a população mundial é um desafio para o conceito de desenvolvimento sustentável. Que necessidades futuras pretendemos atender? Água, energia, alimentos; como produzir para uma população gigantesca, de forma universal? Isso é realmente possível?

De acordo com o PNUMA (UNEP, em inglês), muitos dos ecossistemas da Terra estão chegando em seus pontos críticos de esgotamento ou mudança irreversível. Em 2050, se o consumo e a produção atuais permanecerem os mesmos e com uma população em crescimento que deverá atingir 9,6 bilhões pessoas, precisaremos de três planetas para sustentar os nossos modos de viver e consumir. Diante desse quadro, questionar o modelo atual de desenvolvimento não basta, é preciso agir de forma rápida e objetiva. O Dia Mundial do Meio Ambiente é apenas um dia de reflexão. O próprio tema é um alerta simples demais para o tamanho do problema. Viver de forma sustentável significa fazer mais e melhor com menos. Mas será que estamos dispostos a rever os nossos modelos de desenvolvimento e consumo?

Se este assunto lhe interessa, conheça um pouco mais sobre este dia mundial, os relatórios, os fatos e os dados sobre a vida em nosso planeta:


www.unep.org
www.pnuma.org.br
www.ministeriodomeioambiente.gov.br

terça-feira, 28 de abril de 2015

28 de abril - Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho

O Dia Mundial para Segurança e Saúde no Trabalho é celebrado em 28 de abril, data criada para lembrar os milhares de trabalhadores que se acidentam todos os anos em seus locais de trabalho.

Celebrando a data, o Ministério do Trabalho e Emprego lançou no inicio do mês a Estratégia Nacional para Redução de Acidentes do Trabalho. O objetivo é ampliar as ações para redução dos acidentes e doenças de trabalho no Brasil. A campanha possui quatro eixos: Intensificação das ações fiscais; Pacto Nacional para Redução dos Acidentes e Doenças do Trabalho no Brasil; Campanha Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho; e Ampliação das Análises de Acidentes do Trabalho realizadas pelos auditores Fiscais do Trabalho, melhorando sua qualidade e divulgação.

A origem da escolha do dia 28 de abril se deve a uma data quando 78 trabalhadores norte-americanos morreram, em 1969, vítimas de uma explosão na mina em que trabalhavam, no estado da Virginia. A partir daí, movimentos sindicais se fortaleceram na luta sobre o assunto da prevenção de acidentes e iniciaram a celebração de uma data que pudesse simbolizar a homenagem. Em 2003, a OIT instituiu o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, visando enfatizar os aspectos da prevenção de acidentes e não apenas a lembrança das vítimas. No Brasil, a Lei 11.121/05 instituiu que no dia 28 de abril fosse celebrado no País o Dia Nacional em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho.

Neste ano, a OIT escolheu uma frase que significa um convite: "Junte-se à construção de uma cultura de prevenção em matéria de Segurança e Saúde no Trabalho."

Para conhecer mais sobre o Dia Mundial da Segurança e Saúde no Trabalho, visite alguns endereços úteis que indico aqui:
Portal Brasil:
http://www.brasil.gov.br/cidadania-e-justica/2015/04/fiscalizacao-d0-mte-protege-3-milhoes-de-trabalhadores-em-2015
TST - Tribunal Superior do Trabalho: Programa Trabalho Seguro:
http://www.tst.jus.br/web/trabalhoseguro/inicio
Portal da OIT sobre o Dia Mundial:
http://www.ilo.org/safework/events/safeday/lang--es/index.htm

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Dia da Terra: 22 de abril

Dia 22 de abril foi a data escolhida pela ONU para a celebração do Dia Mundial da Mãe Terra. No Brasil, não percebi que a data tenha empolgado as pessoas ou instituições. Até mesmo o escritório local das Nações Unidas deu pouco destaque a essa data.

Nos jornais, a reportagem mais relevante que eu li foi relativa ao pronunciamento do Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moon, alertando sobre as consequências que nossas decisões têm sobre o planeta. Em um trecho da mensagem oficial da ONU, o Secretário Ban declara:
"Nem todos temos como agir de maneira sustentável, mas os que temos essa possibilidade podemos transformar o mundo, entre os bilhões de pessoas que somos, com simples decisões como optar por lâmpadas de baixo consumo ou comprar apenas o que vamos consumir".
Se você quer conhecer mais sobre a história e a razão da escolha desse dia, indico o portal internacional da ONU, onde há um espaço exclusivamente dedicado ao Dia Mundial da Mãe Terra. Da minha parte, considero que há dia pra quase tudo, mas isso tudo deve ser feito todos os dias. Junto com as fontes, indiquei e recomendo a leitura ou releitura da Carta da Terra.

Ah...O Google também lembrou desse dia...

Fontes de informação:
Portal da ONU (em espanhol): http://www.un.org/es/events/motherearthday/
Earth Day Network (em inglês): http://www.earthday.org/
Carta da Terra (em português!): http://www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental/agenda-21/carta-da-terra

domingo, 19 de abril de 2015

ESW Brasil 2015 será em dezembro, no Rio de Janeiro

Em dezembro deste ano ocorrerá a 7ª edição do ESW Brasil, um seminário cujo conteúdo é exclusivamente voltado à segurança em eletricidade.


O seminário é composto de trabalhos técnicos selecionados, além de apresentações de especialistas convidados, proporcionando um excelente ambiente para a troca de informações técnicas atualizadas.


O objetivo do ESW Brasil é promover a "mudança da cultura da segurança em eletricidade" e por isso, desde a sua primeira edição, a programação é composta não só por trabalhos de profissionais destacados no cenário brasileiro, mas também por renomados palestrantes estrangeiros.

A denominação ESW (Electrical Safety Workshop) decorre do alinhamento com o evento de mesmo nome promovido desde 1991 pelo IEEE nos EUA.

Esta 7ª edição será realizada na cidade do Rio de Janeiro, de 2 a 3 de dezembro de 2015. É uma promoção do IEEE - Instituto dos Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos, em parceria com a Abracopel - Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade.

As informações completas sobre envio de trabalhos, inscrições, local e data, você encontra no portal do evento:

domingo, 22 de março de 2015

Água e Desenvolvimento Sustentável

Água e Desenvolvimento Sustentável: esse é o tema do Dia Mundial da Água em 2015.

Celebrado mundialmente desde 22 de março de 1993, o Dia Mundial da Água foi instituído pela ONU durante a Conferência das Nações Unidas sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a Rio-92, que aconteceu no Rio de Janeiro.

Até 2030, o planeta enfrentará um déficit de água de 40%, a menos que seja melhorada dramaticamente a gestão desse recurso precioso. Essa é a principal conclusão do Relatório das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento de Água 2015: “Água para um mundo sustentável”, lançado na última sexta-feira (20) em Nova Déli (Índia), em celebração ao Dia Mundial da Água (22 de março).

O Relatório é publicado pelo Programa Mundial de Avaliação dos Recursos Hídricos (World Water Assessment Programme, em inglês), liderado pela UNESCO por meio da ONU-Água, órgão das Nações Unidas para assuntos relacionados à água e questões de saneamento. Um sumário executivo do relatório, em português, você encontra clicando aqui.


Entre as questões mais urgentes sobre o assunto estão o acesso à água potável e ao saneamento. Apesar dos progressos realizados no âmbito dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, cerca de 750 milhões de pessoas - mais de uma em cada dez da população mundial - continuam sem acesso a um abastecimento de água adequado. As estatísticas sobre saneamento são ainda menos animadoras. Cerca de 2,5 bilhões de pessoas ainda vivem sem saneamento.

O Secretário Geral da ONU, em sua mensagem sobre o Dia Mundial da Água, declarou: "Para enfrentar os muitos desafios relacionados com a água, temos de trabalhar em um espírito de cooperação urgente, aberto a novas idéias e inovação, e preparados para compartilhar as soluções que todos nós precisamos para um futuro sustentável. Se fizermos isso, podemos acabar com a pobreza, promover a prosperidade global e bem-estar, proteger o meio ambiente e resistir à ameaça da mudança climática."

No Brasil, a Agência Nacional de Águas (ANA) é o órgão que atua diretamente no desenvolvimento e divulgação de informações relacionadas à gestão dos recursos hídricos. No cenário de crise hídrica, o assunto torna-se ainda mais importante e requer estudos e acompanhamento. Recentemente, a ANA lançou o Atlas de Abastecimento Urbano de Água e um portal denominado Conjuntura dos Recursos Hídricos do Brasil, este último contendo um relatório detalhado sobre a crise hídrica brasileira.

Embora estejamos diante de um problema de abrangência global, cada um de nós pode e deve fazer a sua parte para um consumo consciente e racional da água. Aliás, nesse sentido, a campanha da CEDAE,  companhia de abastecimento de água do Rio de Janeiro, usa o slogan "toda gota conta", estimulando a população a consumir a água pensando na sustentabilidade. Confira no vídeo a seguir.



Algumas fontes de informação:
Agência Nacional de Águas (ANA): www.ana.gov.br
Organização das Nações Unidas: nacoesunidas.org
ONU-Água: www.unwater.org
CEDAE: www.cedae.com.br

quinta-feira, 5 de março de 2015

ABRACOPEL promove dois eventos no Rio de Janeiro em março

Nos dias 17 e 18 de março, no Rio de Janeiro, a ABRACOPEL estará realizando mais dois eventos direcionados à comunidade técnica de eletricidade e segurança do trabalho.  A programação completa está no portal da ABRACOPEL  e nos convites abaixo anexados.

O evento Elétrica Segura, no dia 17/03, e o Encontro de Profissionais Eletricistas, no dia 18/03, são oportunidades de aprendizado e troca de informações técnicas.

A ABRACOPEL é a Associação Brasileira de Conscientização para os Perigos da Eletricidade, que este ano está comemorando 10 anos de atividades pela prevenção de acidentes com eletricidade.

Os eventos serão realizados no auditório do CREA-RJ, na Rua Buenos Aires nº 40, com a participação de profissionais e empresas que fazem a diferença no setor.

Uma oportunidade imperdível, ainda mais que o investimento que você vai fazer se resume a uma contribuição de alimentos não perecíveis para instituições credenciadas.
Ou seja, você participa de um evento técnico e ainda ajuda quem precisa.
Não perca esta oportunidade e inscreva-se agora:

Local do evento: Auditório do CREA-RJ - Rua Buenos Aires nº 40 - 4º andar

Inscrições gratuitas: 11-4028-5451 ou secretaria@abracopel.org.br

Ingresso: 1kg de alimento não-perecível OU lata de leite em pó
Quer conhecer melhor a ABRACOPEL, entre no portal www.abracopel.org.br



quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

SOBES - Sociedade Brasileira de Engenharia de Segurança tem nova diretoria


A nova diretoria da SOBES é composta por profissionais de diversos estados brasileiros, sob a presidência do Engenheiro de Segurança Harold Stoessel Sadalla, do Estado do Pará, sendo seu vice o engenheiro de segurança Carlos Soares Queiroz, de Minas Gerais.

A participação em associações profissionais é fundamental para o desenvolvimento e aperfeiçoamento, não só pelos cursos e eventos que promovem, mas pelas oportunidades de convivência e troca de informações técnicas. As associações também são instrumentos de defesa do exercício profissional e atuam para dar visibilidade à área que representam. Na área de engenharia esta participação ainda é muito pequena, e é tarefa de cada um dos profissionais valorizar e incentivar essas instituições. No caso da SOBES, trata-se de uma sociedade fundada em 1971 por alguns dos mais atuantes engenheiros daquela época e mantém a tradição de independência e liderança nas questões técnicas e legais da Engenharia de Segurança do Trabalho. A SOBES, buscando favorecer a formação de lideranças locais, vem estimulando que as associações regionais se formem e sejam a ela ligadas para fortalecimento e alinhamento de ações, mas mantendo a independência de cada uma delas. São entidades regionais ligadas à SOBES as associações de engenharia de segurança do Rio de Janeiro, Bahia, Pará, Pernambuco, Paraná, Espírito Santo, Mato Grosso, Minas Gerais e Rio Grande do Norte. Para conhecer mais sobre a SOBES, visite o portal no seguinte endereço: www.sobes.org.br


No Rio de Janeiro, a entidade regional SOBES-Rio, também celebrou a posse de uma nova diretoria, sob o comando dos engenheiros de segurança Luiz Alexandre Mosca (presidente) e Maria Christina Félix (vice). Em um evento concorrido, que contou com a presença do presidente do CREA-RJ, a nova diretoria iniciou o mandato, prometendo uma gestão participativa e atuante. Entre os destaques, voltam ao grupo gestor da SOBES-Rio, algumas referências importantes da Engenharia de Segurança do estado, como é o caso dos engenheiros Fernando Rodrigues e Edison Nogueira. A foto abaixo registra o dia da posse.


Presidente do CREA-RJ na posse da SOBES-Rio

Se você gostou, compartilhe o nosso blog, usando os botões abaixo (Facebook, Twitter, Google+ etc), e ajude a divulgar este trabalho.



quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Morre o Médico do Trabalho Arlindo Gomes

Dr Arlindo Gomes (1949-2014)
Fui pego de surpresa ao ler esta notícia hoje na Revista Proteção. O médico do trabalho Arlindo Gomes, morreu no dia 03/12/2014, aos 65 anos, portanto ainda muito novo e ativo na profissão.

Tive o prazer de conhecê-lo há poucos anos e interagimos em alguns assuntos profissionais por alguns meses. Depois disso, mudamos de local de trabalho e não tive mais a oportunidade de encontrá-lo.

Ao ver esta mesma foto que eu reproduzo neste blog, lembrei de bons papos que travamos e não poderia deixar de registrar minha homenagem a este profissional de alto nível de comprometimento com a saúde dos trabalhadores.

Dr. Arlindo tinha pelo menos 40 anos dedicados à profissão, atuando como médico do Trabalho na Esso Brasileira de Petróleo, na Manah Fertilizantes, e na Petrobras, junto à Refinaria Presidente Bernardes, de Cubatão/SP e na sede corporativa no Rio de Janeiro. Por último, trabalhou durante o período de construção e implementação do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) em Itaboraí.

Em nota publicada pela ANAMT - Associação Nacional de Medicina do Trabalho, o médico e professor René Mendes declarou:
"A Medicina do Trabalho brasileira sente-se profundamente chocada pela inesperada perda, pois Arlindo Gomes esteve ativo e profissionalmente engajado por 40 anos, até sua morte prematura, aos 65 anos.De temperamento alegre, e sempre cheio de ânimo e coragem para enfrentar os desafios diários na sua vida profissional, a carreira de nosso querido colega foi marcada sempre por sua posição conciliatória, da busca do entendimento e da harmonia. Assim o vimos por cerca de 35 anos, sempre ativo e de boa paz, colocando seu tempo e talento a serviço da Associação Brasileira de Medicina do Trabalho – ABMT, da qual chegou a ser seu Presidente (2001-2004), e da Associação Nacional de Medicina do Trabalho – ANAMT,onde participou ativamente de inúmeras comissões, grupos de trabalho e organização de eventos. Na nossa gestão da Diretoria de 2004-2007, foi Diretor Científico da ANAMT, e nessa qualidade, e com imensa dedicação e competência, organizou a excelente programação científica do 13º. Congresso, em Vitória – ES, em 2007. Como Presidente da ANAMT, à época, devo muito a ele. Em todo seu trabalho na vida associativa, Arlindo sempre buscou o entendimento e a harmonia."
Na Revista Proteção, edição de janeiro de 2015, onde tomei conhecimento de sua morte, ele era colaborador com artigos e sugestões de pautas de interesse e relevância.

Fontes:
http://www.anamt.org.br/site/noticias_detalhes.aspx?notid=2969
http://www.abmt.org.br/70anos/tag/arlindo-gomes/
http://www.protecao.com.br/noticias/geral/morre_o_medico_do_trabalho_arlindo_gomes/AQjyAJy4/7621