quarta-feira, 28 de julho de 2010

PrevenRio - 4ª Feira de Segurança e Saúde no Trabalho

Na próxima semana, ocorrerá o evento PrevenRio, uma Feira de Segurança e Saúde no Trabalho, no Centro de Convenções Sul América, na Cidade Nova, próximo ao centro da cidade do Rio de Janeiro.

O evento será realizado entre os dias 03 e 05 de agosto 2010, proporcionando qualificação e capacitação técnica, debates e apresentações de cases promovidos através de congressos, seminários, palestras e workshops, atraindo profissionais e estudantes da área que buscam conhecimento e soluções inovadoras. Com este perfil, a PrevenRio 2010 se transforma em oportunidade única para a sua empresa apresentar seus produtos e serviços destinados às ações de SST. Além da Feira, diversos eventos paralelos estarão acontecendo como é o caso do 11º COBES - Congresso Brasileiro de Engenharia de Segurança e o ABERGO 2010 - Congresso de Ergonomia.



E no dia 04 de agosto, no local do evento, às 19:30h, um Encontro de Engenheiros de Segurança, para discutir um projeto de lei em tramitação da Câmara dos Deputados, cuja aprovação pode comprometer o exercício da Engenharia de Segurança no Brasil. Participe !

Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho

Entre as notícias do Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho (27 de julho), selecionei essa para compartilhar com os leitores deste blog. Que bom que esse alerta vem de um Juiz do Trabalho. Boa leitura.
--
Juiz alerta para aumento de doenças no Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho
Agência Brasil
Publicação no Correio Braziliense: 27/07/2010
Além dos acidentes de trabalho, as doenças decorrentes da ocupação, como os distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho (Dort), estão crescendo muito no Brasil por falta de equipamentos e infraestrutura adequados nas empresas. O alerta é do presidente da Associação dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Amatra) da 1ª Região, André Vilella, no Dia Nacional de Prevenção de Acidentes de Trabalho.
De acordo com os dados do mês de junho do Ministério do Trabalho, foram emitidas 7,4 mil notificações e 143 acidentes foram registrados em todo o país.
"É importante a iniciativa do empregador com equipamentos de prevenção individual no trabalho, a fiscalização do Ministério do Trabalho e o trabalhador tem de procurar um sindicato ou o Ministério Público do Trabalho para reivindicar seus direitos”, explicou o especialista.
Segundo ele, a Justiça do Trabalho é um dos ramos mais ágeis da Justiça brasileira, mas costuma demorar porque é preciso um laudo técnico para demonstrar a doença ou o dano sofrido pelo trabalhador, o que torna o processo mais lento devido à falta de peritos.
“Temos de melhorar. É preciso ter a consciência que em casos de acidente do trabalho não é só a vida do trabalhador que é fundamental, mas também tem os aspectos econômicos para o empregador”, destaca Vilella.
De acordo com o secretário de Relações de Trabalho da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Marcelo Azevedo, ainda existe no Brasil grande quantidade de acidentes no trabalho.
“Não se preocupam com a saúde do trabalhador porque é fácil a substituição da sua mão de obra. Grande parte do empresariado não tem sensibilidade, é preciso entender que o trabalhador é patrimônio da empresa, ele é quem faz o lucro e deve ser tratado com respeito”, destaca Azevedo.
Em levantamento feito em 2007, pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), foram registrados cerca de 653 mil acidentes do trabalho entre os empregados formais do país. No Anuário dos Trabalhadores, publicado pelo Ministério do Trabalho, em 2007 houve 414.185 acidentes no Brasil e 20.786 ocorrências de doenças associadas ao trabalho.

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Evento do IEEE para o setor de petróleo e gás

O IEEE - Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos - está realizando um de seus mais importantes eventos técnicos em setembro, no Rio de Janeiro. Trata-se da versão brasileira do PCIC - Petroleum and Chemical Industry Conference - Brasil. PCIC é a sigla que representa o congresso realizado anualmente, desde 1954, pelo IEEE - Institute of Electrical and Electronics Engineers dos Estados Unidos, dedicado exclusivamente à disseminação das tecnologias e soluções de engenharia elétrica aplicadas aos segmentos industriais de petróleo, química e gás. Esta é a terceira edição do PCIC BR que será realizado no Centro de Convenções Mário Henrique Simonsen, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ, de 15 a 16 de setembro de 2010. A programação completa do evento está disponível na Internet e as inscrições estão abertas, com desconto especial até o dia 31/07/2010. Para os profissionais da área de segurança, é gratificante perceber a quantidade de trabalhos técnicos voltados a esse tema específico, garantindo espaço em duas sessões do evento. Confiram as informações no endereço: www.ieee.org.br/pcicbr

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Livros técnicos para atualização profissional

Uma item indispensável para a atualização profissional é o livro. Embora tenhamos inúmeras opções de fonte de informação, ainda não há substituto para o livro. É nele que podemos conhecer com profundidade as ideias, teorias, aplicações práticas, interpretações, enfim, é um lugar onde parar e pensar.
Por isso, eu aproveito para fazer uma propaganda do meu portal na Internet, que tem uma seção dedicada aos livros da área de Segurança, Saúde e Meio Ambiente, no formato de uma livraria digital. Eu preparei um conjunto de assuntos, nos quais você vai encontrar os livros que está procurando ou vai conhecer muita coisa nova que ainda não conhecia. Portanto, aceite este convite e faça uma visita no endereço: www.RicardoMattos.com/livros.htm .

sexta-feira, 2 de julho de 2010

Rede elétrica aérea é um perigo: afaste-se !

A notícia divulgada hoje (02/07/2010) sobre a morte de um menino de oito anos, que subiu em uma árvore para tentar pegar uma pipa (papagaio), causa muita tristeza. As redes elétricas aéreas estão instaladas em todos os lugares e são extremamente perigosas para a população. Embora as empresas concessionárias de distribuição de energia elétrica façam campanhas permanentes, o perigo permanece. As redes aéreas funcionam em alta tensão ( em torno de 13 mil volts) e os cabos elétricos não são cobertos por material isolante. Dessa forma, a única proteção é a distância. Entretanto, muitos trabalhos com andaimes, escadas, guindastes permitem a aproximação da rede elétrica, podendo causar acidentes graves e fatais. Veja essa foto, logo abaixo, que ilustra bem esse tipo de situação.


Além das situações de trabalho, atividades em casa (no telhado, instalando antenas, podando árvores) e de lazer podem gerar uma aproximação excessiva da rede elétrica. Esse foi o caso desse menino de oito anos, que subiu na árvore mas tocou nos cabos que ligavam a rede a um transformador. Ainda vai demorar muito para as empresas eliminarem as redes aéreas das áreas urbanas. Essa é a única solução para eliminar o perigo que essas redes representam quando estão localizadas na via pública das cidades. Porém, isso custa caro e requer uma legislação que obrigue e estabeleça prazos para essa adequação, construindo galerias subterrâneas. Para que você tenha uma ideia, os dados divulgados pelo setor elétrico brasileiro, indicam mais de trezentas mortes, por ano, de pessoas que entram em contato com essas redes aéreas, inclusive nesse tipo de acidente com pipas (também chamadas de papagaios ou pandorgas, de acordo com a região do Brasil).
Portanto, fiquem atentos, olhem para cima e afastem-se das redes aéreas. Se há algum trabalho a fazer perto delas, entre em contato com a companhia de eletricidade local, para providenciarem o desligamento temporário ou a instalação de obstáculos. Em situações onde há construções muito próximas, pode ser necessário instalar uma cobertura permanente em determinado trecho do cabo elétrico. Acione e comprometa a companhia de eletricidade local. Quem gera o risco é responsável pelas medidas de proteção, não só dos trabalhadores mas da população como um todo.

Se você gostou, compartilhe o nosso blog, usando os botões abaixo (Facebook, Twitter, Google+ etc), e ajude a divulgar este trabalho.